trail vs estrada

No fim do treino fácil de trinta minutos planos, sempre a procurar manter o coração na zona dos 143bpm, e ao pensar no treino de ontem com as dolorosas séries de 10 minutos de esforço máximo, apercebi-me que podia resumir a  coisa a “trail é diversão espiritual,  estrada é melhorar as capacidades”. É claro que melhoramos a treinar trail. É evidente que se nosso objectivo é subir montanhas e fazer provas na natureza, subir montanhas e treinar na natureza nos torna melhores nisso.

Mas penso que treinar maratona a sério (isto para quem corre ultras),  com séries, treinos longos, tempo, testes de 1k, 5k, 10k, meia maratona. atento aos ritmos cardíacos e paces, comparando resultado, coloca-nos muito mais numa zona de desconforto e limite, mais motivados para a quebrar e expandir. Não existem as variações dinâmicas próprias do trail com as subidas e descidas acentuadas. Os treinos que puxam pelo vo2max são provações. Queremos desistir mas não podemos, o relógio não deixa, falta mais uma, duas séries, faltam mais 4, 5 , 10 minutos. A intensidade é constante. Nisto o cérebro vai percebendo que intensidade é esta, como regular as coisas para não fazermos uma primeira série bestial e as outras cada vez pior, como começar um teste de 5k para não chegar aos 4k incapaz de dar mais um passo. Todas estas microdecisões que por vezes envolvem apenas  mais ou menos 5 segundos por km, vão sendo afinadas neste laboratório. Além do mais, é precisamente o desconforto aliado à sensação de “mas isto nunca mais acaba?” que cria um atleta melhor para ultras de trail.

Por isso confirmo a minha impressão que um treino focado em estrada melhora o motor para o trail, quer o físico, quer o psicológico, o motor que vai ser necessário para transpor uma subida interminável ou conseguir correr em plano ao km 150 de uma prova de 100  milhas. Infelizmente, no caso de se treinarem ultramaratonas, não é muito plausível para um atleta amador poder misturar os dois. Por exemplo,  fazer uma semana de treino de maratona, mas depois em vez de 120 minutos em asfalto, ir para Sintra fazer 4 horas. Isto porque acho que para uma ultramaratona é preciso tempo nas pernas, quilómetros, desnível, endurance. E isso causa um cansaço que não se coaduna – pelo menos no meu caso – com treino de velocidade nas mesmas condições em que é feito num plano puramente de estrada, visto que o long run é suposto ser fácil e 20-30km planos em ritmo fácil para um ultrarunner não é muito exigente. Pode é – e espero fazê-lo – incluir treinos curtos de trail com desnível, aliás, está previsto no plano da maratona.

Advertisements

2 thoughts on “trail vs estrada

  1. Boa perspectiva do treino.
    Conheço várias opiniões sobre o treino de estrada vs trail, uns dizem que convém fazer só estrada, quanto muito uma vez por semana trail só para matar saudades. Outros dizem que basta treino de trail e fazer umas séries e já está. Outros, treinos bi-diários e o clássico longo ao fds.

    1. Tudo depende dos objectivos, mas aqui não me referia a regularidade ou bi-diários. A especificidade é tudo. Se estás a treinar para uma maratona de estrada deves correr estrada, se é uma ultra de trail, é trail, especialmente no que respeita ao longo. Não tem rigorosamente nada a ver correr 120 minutos de estrada planos a 4:45 sempre e ir correr 3 ou 4 horas em sintra a subir e descer em trilhos técnicos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s