Hoje treinei em Sintra depois do trabalho com o João e passámos pelo segmento “‘3 segmentos cogumelos” em treino semi-nocturno há pouco e decidimos meter pé na tábua 🙂 É uma das descidas mais divertidas de Sintra e faz parte do STE Extreme Remix, um longo single track feito por pessoal do btt, muito técnico. Também pode ser uma subida se formos no sentido inverso, embora não seja tão divertido. O Joao Lp naturalmente, ganhou-me hoje, mais uma vez, como sempre. O tempo que ali está nem é o de hoje porque hoje acabou pelo menos uns 20 segundos antes de mim. Também acho piada o grande Nelson Graça ter praticamente o mesmo tempo que eu, mas 40 ou 50 batidas cardíacas por minuto a menos. Não obstante, confirma-se, gosto de downhill. 6º em 100 tipos, é bom.

Screen Shot 2016-05-11 at 23.10.02.png

Muitos prs neste, incluindo nos segmentos ascendentes principais, mas também foi dos treinos mais curtos que já fiz em Sintra, normalmente os meus treinos que passam por estes segmentos têm mais de 3 horas. Não queria voltar demasiado tarde para casa e já comecei bastante tarde. Com a vaga de roubos a viaturas também estava um pouco stressado.

Screen Shot 2016-05-11 at 23.19.54Screen Shot 2016-05-11 at 23.20.16

No geral e apesar do cansaço extra corrida (o trânsito no IC19 em hora de ponta….), acredito cada vez menos em variáveis como o volume de quilómetros, em detrimento de desnível muito intenso (e não só volume de desnível em bruto) horas e tipo de terreno para provas como um MIUT ou Ehunmilak. Tenho de encontrar soluções e fazer sacrifícios para conseguir enfiar treinos destes na rotina. Idealmente faria isto sempre que tenho uma noite livre até à Ehunmilak, mas treinar sozinho por lá à noite é mesmo spooky e não gosto muito. Tenho de levar um peluche da minha filha.

Advertisements

3 thoughts on “

  1. Estou a gostar muito de ler o Run by Feel e começo a ver tudo pela lente da motivação. Ao ler este teu texto (e ao lembrar-me dos teus períodos de preparação para as maratonas) reconheço que tu precisas mesmo destes treinos até ao osso. É curioso. OK, o Ehunmilak tem uma percentagem de desnível brutal mas a abordagem podia ser outra. Pergunto-me por que é que há estas diferenças. Eu não dava mesmo para isso – agora refiro-me ao apanhar o IC19 à noite, que violência 🙂

    1. Nunca fiz isto, estou muito apreensivo com a Ehunmilak, depois da experiência da Madeira. Mas isto apanhar o IC19 à noite é porque no fim de semana com a miúda não vou poder treinar sintra. É isto ou nada durante 15 dias e meti na cabeça que 1x por semana metia sintra. Até foi curto, mas apanhei muito transito. Hoje foi parecido, mas em Monsanto. Olha que até ao osso são os treinos com os esquilos! O ritmo é muito puxado às vezes acho eu 🙂

      1. Nem queiras imaginar o ritmo que eles metem em Sintra aos fins-de-semana…

        Estavas preparado para o MIUT e estarás para Ehunmilak, já levas bastante experiência. É claro que aquilo impõe respeito, faz todo o sentido que te imponhas um nível de exigência (a vários níveis) maior nos próximos tempos. Quando acabar o ano lectivo apanhas menos trânsito para Sintra e tens luz até mais tarde, nem fará falta levar peluches 😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s