também é oficial

gosto de estar fora de pé! Seja o que Deus quiser, como dizem os católicos.

Só me preocupam algumas coisas que tenho lido dos relatos da ehunmilak. O piso é assassino e não há secções roladoras fáceis. A taxa de desistências nas duas primeiras edições foi de mais de 50% e a nas últimas não andará longe, ainda não vi e só me vou preocupar com isso depois do MIUT. O clima é muito incerto, até nevões houve numa edição. Acho que eu não sendo rápido ou bom atleta, tenho pelo menos algumas qualidades que são valiosas nestes contextos. Primeiro, prefiro colapsar a desistir. É impossível entrar numa coisa destas e chegar a um ponto qualquer e conscientemente desistir, excepto, como disse antes, por lesão (torcer um pé, bolhas). Más sensações, nunca. Já vi corredores – que respeito – a desistir à minha volta, só porque estão na merda, o meu conselho é tenham calma, porque o corpo recupera depois de um copinho de água com açucar ou algo do género.  No UTAX passou por mim um ex-líder da prova, provavelmente conhecido, mas não o reconheci, que esteve numa ambulância a recuperar de uma morte autêntica e que se tinha enganado no caminho. Acabou a prova para ter os 3 pontos para o UTMB. That is the spirit. Ele ia pálido e passou por mim, falámos um pouco, mas passou por mim a voar. E eu ia bem. Estranhei ele afastar-se tão depressa. Íamos os dois a andar.

Segundo, gosto dos problemas. As Ultras nunca correm exactamente como esperamos, faz parte do interesse de passar por uma, o desconhecido, o improviso a que obrigam. Ir mentalizado que há coisas que vão correr inesperadamente mal, faz parte . Há pessoas que atrofiam mesmo muito com coisas negativas, como um erro de marcação, um abastecimento mau ou trocado, estar a chover copiosamente em vez de sol como previram etc. Temos de ir preparados para o pior e para ter calma. Muitas situações más são passageiras e não vale a pena pensar demais!

 

Advertisements

2 thoughts on “também é oficial

  1. É isto! Caraças, é que é mesmo isto!
    É o que faço sempre com alguma contrariedade em prova ou mesmo em treino. A vontade que se me apodera, e não sei de onde vem nem o que é, dá-me força para aguentar. Foi o que me fez aguentar a chuva no TSL e saber que estava com um corta-vento em vez de um impermeável. A coisa podia ter ido para o torto, não tivesse eu persistido e soltado uma data de impropérios aos elementos. Era o que mais faltava ter medo de trovoadas e chuva! Ri-me tanto sozinha e a memorizar todos os momentos difíceis que passei para os recordar depois com saudade.
    Fiz aquilo como um jogo de computador, com bonus levels, bosses e tudo.

    Bookmarkerei este post.
    Obrigada por o teres escrito.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s