UTAX, aqui vou eu.

Estou a poucas horas (amanhã, sexta, à meia noite) de iniciar o UTAX, a minha estreia em provas acima dos 100km, na serra da Lousã. Logo mais 32km que a minha anterior prova mais longa, esta com o extra de um piso muito mais técnico do que essa.

Já preparei o equipamento, inluindo o dropbag, com quase tudo em duplicado: meias, sapatilhas, calções, t-shirt, buff. Levo 6 garrafas de Perpetuem, cada uma para 4 horas, 3 até ao dropbag, 3 para depois. 22 pastilhas de electrólitos ‘extreme’. Imodium, voltaren capsulas. Luz traseira, manta térmica, frontal com duas baterias, fita kynesio para os pés, incluindo uma 2ª dose de fita já cortada para o abstecimento do dropbag aos 60 e tal km em que, caso seja preciso, substituo a fita. Copo. Bastões. Luvas. Boné para o dropbag.

Agora preciso de dormir bem. Dormir esta noite, dormir uma sesta amanhã se possível, carregar muito bem as pilhas de sono e energia. Ainda vou a conduzir para lá no próprio dia, mas chego a tempo de o fazer.

Desta vez com amigos, o João LP, a Patríca e uma amiga dela. Depois lá estarão caras conhecidas do grupo dos Esquilos, o que será bem divertido. Vamos conhecendo as pessoas nos treinos, mas penso que não há nada como uma prova de 112km para aquele sentimento de brothers in arms ahaha.

É o melhor destas provas, depois de meses a treinar sozinho. Isso e a primeira cerveja depois da meta, caso não se esteja naquele estado de semi-hipotermia devido ao evaporar de toda a energia do corpo.

A minha filha também me ajudou muito no seu carrinho comigo a empurrá-la. Fez peso nas subidas, resistência ao vento com o boné das orelhas do mickey, cantou muito, atirou o Ursinho Rosa borda fora e adormeceu para eu poder correr mais um bocado.

O meu tempo de prova previsto é 22h, mas pode ser mais, sobretudo se chover mais do que o previsto e tiver problemas nos pés. Vou em modo “finisher” e defensivo, muito cuidado com os meus pés, com a passada nas descidas, ser ágil e leve como um gato, em detrimento de velocidade, para não ter bolhas, o meu medo nº1. Acredito que será muito duro, mas não tenho medo de “estoirar”. Nem de não aguentar o empeno. Se a epiderme dos meus pés me der tréguas.

Amanhã discuto a altimetria e a táctica com o João, memorizo os postos, hoje já visualizo o percurso, as principais subidas, onde estão, sonho com ele, imagino-me lá.

Um pequeno verso do Tao Te Ching de Lau-Tzu, 4 séculos AC:

Chien hsiao yueh ming –
Seen the small is called brightness.
maintaining gentleness is called strength.
Use this brightness to return to brightness.

Don’t cling to your body’s woes.
Then you can learn endurance.

Advertisements

One thought on “UTAX, aqui vou eu.

  1. Neste tipo de desafios a sério (e não daqueles “adoro desafios e superar-me, foi por isso que vim para este reality show”), desejar boa sorte é completamente vazio e paternalista. Qual é a expressão que se usa para gente maluca que faz coisas malucas? Considera-a dita.

    Olha, que consigas fazer isso em 21 horas e sem lesões para além do desgaste normal.

    Pics or it didn’t happen.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s