Sobral de Monte-Agraço – Lisboa ou Torres Vedras – Lisboa

Como pensas fazer esse treino longo até casa da tua Mãe? Tb já pensei em fazer isso, ou seja, de Lx à Ericeira, mas não conheço os caminhos e, apesar de lidar bem com cães, receio encontrar alguns pelo caminho. E a mochila? O que levar? E fazer o percurso durante o dia ou à noite? Já o fizeste?

respondendo ao comentário da amiga prencarnação que descobriu o trail há pouco tempo e ficou viciada.

Agosto é o mês em que devo atingir o pico de volume – infelizmente não será grande pico – e Setembro é o mês de afinar e testar a corrida mais longa. Quero aproveitar para fazer a ligação a casa de minha mãe, ou então a Torres Vedras, e ainda não sei em que sentido será melhor, penso que até é melhor ir desde lá para Lisboa.

Como nos orientarmos. Primeiro, é preciso um relógio GPS do género Suunto Ambit ou Garmin Phoenix, a não ser que se conheça bem o terreno. No trail ou no btt, ao contrário do ciclismo de estrada, não dá para inventar muito e ir por placas de direcções. Sei por experiência própria que quando não conhecemos o terreno e chegamos a uma bifurcação ou perto de um singletrack que vai mesmo a direito na direcção que pretendemos, muitas vezes chegamos a becos sem saída, vedações, vegetação intransponível e temos de voltar para trás, muitas vezes algo desanimados por termos perdido tempo e energia. Por isso um plano mínimo é aconselhável quando não existe um caminho evidente.

Recomendo também treinos de trail nas zonas. Eu treinei em Bucelas e no Cabeço de Montachique por exemplo, e conheço bem a zona do Sobral e de Torres Vedras por ter treinado lá muitas vezes, sobretudo BTT. Às vezes só não conseguimos ligar duas zonas por uma questão de meros 10km ou até uma única montanha.

Aqui o meu percurso para casa de minha mãe. Sei ir para Torres Vedras dali, como a palma da minha mão, são mais 12-17km para nordeste e o trilho é espectacular. Também já fiz Lisboa Bucelas.

percurso1

Este percurso foi criado usando parte de um percurso já existente e criando eu próprio a zona de Lisboa até Bucelas.

Mas mais interessante é este Bucelas Torres Vedras, correspondente ao percurso oficial da ultra das linhas de torres. O desafio portanto é chegar de Lisboa a Bucelas, algo que já fiz do lado do alto de Loures, cabeço de Montachique, isto para evitar a perigosa nacional que começa em Loures.

percurso2

Portanto, em resumo, para conhecer um percurso desta magnitude basta ir ao GPSIES http://www.gpsies.com/ e fazer buscas, usando filtros. Depois podemos carregar no relógio tipo suunto ou ambit o track ou vários tracks, por exemplo, um que diga “Lisboa Bucelas” e vá por caminhos secundários e depois outro que diga Bucelas – Torres Vedras etc.

Para fazer o favor à prencarnação, este foi o melhor track que vi até agora para algo próximo de Lisboa- Ericeira, mas não é bom ainda. Este começa no Linhó ou em Sintra, portanto, seria arranjar um Lisboa – Sintra e depois fazer este. Este até tem duas variantes, é uma round trip, mas aqui provavelmente faríamos só uma “one way trip”, escolhendo a variante oceânica para os pipis ou a variante para corredoras duronas, mais para dentro.

percurso3

Mas o melhor é antes procurar por tracks Lisboa – Mafra que deve haver mais e depois Mafra Ericeira. O melhor também é procurar por BTT para além de trail, porque há mais destes mega tracks em BTT e não tanto em trail running. É preciso cuidado para não seleccionar tracks de ciclismo de estrada ou que classificam de “BTT” e é todo em asfalto. Para detectar isto basta fazer zoom e ver se coincide com estradas em grandes extenções. Antes de fazer a tentatia, convém treinar por Mafra, Ericeira, subúrbios de Lisboa (Amadora, Loures, etc.) Claro que podes logo partir de Sintra, indo para lá de comboio, mas não é a mesma que sair de casa, da porta de casa, e ir por aí fora.

O que levar na mochila. Aqui é necessário perceber onde vamos abastecer. O principal problema é água. Se estiver calor podemos precisar de bastante água. Em condições normais eu por exemplo consumo cerca de 500ml de água por hora. O ideal é fazer um passeio de carro com o track gps ligado. É importante também levar um mapa impresso com a zona, as estradas, etc. com bom detalhe. Eu fiz isto para o 1º percurso e marquei no gps povoações com cafés num raio próximo do trilho, mas já percebi que o melhor é mesmo incluir essas povoaçoes no percurso. Ou seja, sabemos que aos 25km passamos por uma vilazita chamada xpto. Isto permite perguntar direcções ou seguir placas porque em caso de cansaço mais forte ou desorientação ou um trilho impedido, saberemos ir pela estrada até voltar a apanhar o trilho um pouco mais à frente. Quanto a nutrição, eu levo Perpetuem para me dar energia nests coisas, é um pó que se mistura com água, mas aqui também faria paragens em cafés para comer bem, algo que me habituei a fazer nos long runs de estrada e que simula melhor as condições de uma ultra.  Levar dinheiro, roupa extra, frontal se vamos correr de noite, manta térmica, telemóvel carregado.

De dia ou de noite? O ideal é programar para partir de noite, antes do nascer do sol, e chegar de dia, isto especialmente se a partida for de Lisboa. Ou seja, a parte nocturna pode ser feita na cidade – atenção a usar uma luz na mochila, um led vermelho, algo assim, para na parte mais aventureira de off road termos luz.

Cães. Já tive encontros com toneladas de cães especialmente na zona oeste e num treino um dia em Sintra.É verdade que já me obrigaram a um grande desvio (uma vez em Montejunto vi 5 cães na estrada onde queria passar). Mas nunca tive problema nenhum.Os bastões por acaso são óptimos para estas coisas, mas eu diria que isto não é problema. Não oiço histórias de muitos trail runners atacados.

E acho que é isto. Ainda não o fiz, mas gostava de poder dizer “eu já fui de Torres a Lisboa a correr” um dia e se penso mais no Torres Lisboa em vez de Lisboa Torres é porque talvez prefira chegar a minha casa e poder descansar lá, em vez de ir de Lisboa para Torres, ficar lá e depois ainda ter de voltar de autocarro e metro para casa!

Advertisements

3 thoughts on “Sobral de Monte-Agraço – Lisboa ou Torres Vedras – Lisboa

  1. Wow! Obrigada! 🙂
    Suunto ambit 3, check, só me falta mesmo aprender a pôr os tracks. Sim, era o gpsies que me faltava. Fui agora ver os trilhos e é todo um mundo novo de percursos para descobrir. Feel like a kid in a candy store!

    Sim, é melhor começar a conhecer bem os trilhos aqui pela Ericeira (estou de férias pela Ericeira e tenho corrido só em estrada. O que me valeu foi ter ido este fds aos trilhos à serra dos Candeeiros, já estava a sofrer com a falta de um single track jeitoso. :D).

    Ena, nem sei que te diga! Muito obrigada, Lourenço. 🙂

    Ps- não sei como se muda o nick, soa estranho o prencarnacao. 😀

  2. Em tempos e blogs idos lembro-me de falares em pensar fazer o percurso de bike. Umas quantas maratonas e ultras depois, já vejo a coisa bem composta para ser feita em corrida 🙂

    Classe.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s