correr 100km ou mais, por semana

Terminada a minha segunda semana consecutiva a logar 100km com +2700m com este humilde run de recuperação dolorosa…
treino1

… posso dizer que aprendi coisas novas e evoluí mais um pouco.

Primeiro, confirmo a minha percepção que é a velocidade / intensidade e sobretudo em asfalto que é crítica para as minhas lesões e não o volume per si. Recuperei parcialmente da lesão que me transformou os últimos km’s do Paleozóico num martírio, contra os avisos que me fizeram, correndo 260km em Abril até agora. As mazelas que tenho (e tenho muitas) são de adaptação e cansaço e desaparecem ao fim de 5-6kms de aquecimento.

Concluo que o meu método ideal (e que até aconselharia a outros corredores) é alternar ultras de trail com maratonas de estrada, por ciclos. Não apenas pelo lado benéfico de variar e diversificar a rotina, mas pelo que se ganha num e noutro lado. As ultra maratonas de trail permitem-me ter o endurance e a resistência física e psicológica necessária para passar pelo treino de maratona de estrada sem lesões e motivado. Por outro lado, treinar estrada 100% dedicado é valioso, pois é um treino em que lidamos de forma muito objectiva com a nossa performance e forma física e trabalhamos mais velocidade, vo2 max, correr em anaeróbio, abrir a passada etc. Não é à toa que mesmo ultramaratonistas de trail experientes gostam de correr uma maratona para vencer um determinado tempo alvo, como uma maratona sub 3h. Ainda recentemente, a vencedora na categoria feminina da Marathon Des Sables, Elisabeth Barnes, elegeu como objectivo experimentar fazer uma maratona sub 3h.

O grande desafio será ter tempo para correr isto sem ser em férias. Vou reduzir volume nas próximas três semanas e o Transvulcânia vem aí. Mas a preparar as próximas provas, vou tentar fazer isto de forma consistente não cometendo o erro que me causou a lesão: meter km’s em velocidade e em estrada. Depois de Málaga vim eufórico com o novo “motor” e como tinha pouco tempo, enfiei km’s à bruta com uma enorme ansiedade, esquecendo-me de como se corria lento.

Preciso de ter paciência. Preciso de incluir pelo menos 2 treinos por semana em serra com desnível. Nem que corra de noite ou de madrugada.

Em princípio também me inscrevo num ginásio, provavelmente no Academia Life Club por ser mais perto de onde trabalho e passo a meter um trail de desnível pela zona histórica, escadinhas, etc. ou então só na passadeira com inclinação. Também faço votos que durante a semana faça um ou dois runs com os Esquilos. O meu desejo também passa por conseguir converter mais pessoas (já converti subtilmente pelo menos 2) a juntarem-se a pouco e pouco e ter companhia para as provas, com um grupo simpático ou então colar-me a outros. A motivação de grupo é um factor que ainda não experimentei.

A maior lição foi mesmo descobrir que sou pessoa para correr 100kms ou mais de forma consistente, porque gosto. É verdade que implica mais mudanças, começamos a sair da zona em que a corrida é um passatempo extra, para começar a alterar a nossa maneira de comer, dormir, viver, pensar. No meu caso, sinto que a alteração é para melhor, pelo menos, para eu estar mais em paz, embora também esteja consciente que isto cria um certo fosso com pessoas e rituais de antes e que me torna uma pessoa um pouco mais básica e desinteressante.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s