baixa chiado, as escadas

Tenho encaixado os tais microtreinos por todo lado e outros menos micro, como ir a correr do escritório a casa em vez de usar transportes ou bicicleta. E mesmo em distâncias moderadas a curtas, dou comigo a correr vestido à civil, com calçado normal. Não vou naquele ritmo stressado de quem está atrasado para uma reunião ou para apanhar o autocarro do outro lado da rua. Vou num ritmo calmo, como qualquer corredor num easy run, até para não transpirar (o tempo frio actual permite isso de manhã e à noite). E começo a notar mais e mais que é uma questão de predisposição mental e vencer preconceitos. A maior parte das vezes dividimos o tempo entre dois estados: ser corredor / atleta e não corredor / não atleta. Não é ir ao extremo daqueles sedentários que tão bem conhecemos, que vão de carro para todo lado, que morrem de medo com a perspectiva de andar mais de 5 minutos a pé, que ofegam nas escadas, mas que depois largam euros para pagar a ginásios. E aquela hora no ginásio transforma-se num bloco de tempo curtinho onde concentram a actividade física que no resto da semana é inexistente e vai a coisas como… nem subir as escadas do metro da baixa chiado. Há quatro hipóteses. 1) ficar especado nas escadas rolantes 2) subir as escadas rolantes no mesmo sentido destas 3) subir as escadas físicas não-rolantes 4) tentar subir as escadas descendentes. 98% das pessoas que vejo optam pela 1) Eu estou na 2) e já estive mais longe da 3) a correr por ali acima. A 4) exige internamento.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s