o verdadeiro “achievement” é mais discreto

Amanhã treino porrerio, 15 minutos warmup, 6x1000m z4 + cooldown. Acho vou tentar bater o meu PR dos 1000m no primeiro intervalo e depois arrasto-me nos outros 5 ehehe… Entretive-me a ver o meu registo nos meses que antecederam a maratona de finais de Abril, em Madrid, e cheguei a uma bela conclusão: em Janeiro ainda treino 3-4x por semana. No mês de Fevereiro e Março treinei quase sempre apenas 1 ou 2x por semana. E estava exactamente com este plano de treinos de agora, o Marathon Level 2 da Garmin que previa 5 treinos. O achievement foi mesmo vencer as lesões, vencer a preguiça e tornar a corrida um ritual quase diário sem ficar exausto, zombie de sono ou lesionado e conseguir aguentar-me a 5x por semana. Devo isso ao treino para a ultra e a não ter desistido no momento crítico pós meia dos descobrimentos em dezembro de 2013 em que estava sempre todo partido.

Advertisements

3 thoughts on “o verdadeiro “achievement” é mais discreto

  1. Qual é a vantagem de treinar para uma maratona 5 vezes por semana sobre treinar 3? É vantajoso habituar a corpo a correr diariamente ou é melhor investir mais na intensidade de dois ou três treinos semanais? (não são perguntas retóricas, tenho genuíno interesse em saber o que será melhor)

    1. Parte disso ainda é um tema em debate (este longo artigo é interessante http://www.trainingscience.net/?page_id=664) , mas não há muita discussão sobre a vantagem de um treino diário (e mesmo bi-diário no caso dos elites), a questão é mais o volume e a intensidade.

      Precisas sempre de 2 ou 3 treinos intensos. Logicamente, se só podes treinar 2 ou 3 vezes, tens mais tempo para recuperar entre treinos. Mas na verdade, aquilo que se acrescenta mais numa frequência de treino 5x por semana no meu caso são treinos lentos e curtos (30-40 minutos no meu caso neste momento). É muito difícil treinar velocidade mais de 2x e arriscado fazer mais do que um long run por semana, isto para o comum dos mortais. Portanto, se queres somar km’s nessa semana, tem de ser treinos que não te induzam mais cansaço ainda e não perturbem demais a recuperação. Quando corres 30 minutos lentos um dia depois de um treino intenso, estás também supostamente a habituar o corpo a correr em sensação de cansaço. Os elites podem ter um treino duro de manhã e à tarde fazem uma corrida curta e lenta.

      Esta semana, que é das duras, devo fazer 58km. Desses, 28km são de um long run em easy pace e cerca de 10-12km foram de 2 treinos de série. Os outros 2 treinos foram corridas curtas e fáceis (30-40 minutos muito lentos) que acabam por me dar mais 10-12km extra no fim da semana. Se eu tentasse incluir aqueles 10km na velocidade, podia lesionar-me ou cansar-me muito… Basta mais 1000m numa série, enfim… e este é um plano com muita velocidade (2 treinos por semana). Podia meter no long run de domingo, mas aí disparava para 38km, um long run mais próprio de ultramaratona e que me deixaria muito cansado para 2 dias depois treinar velocidade. Ou seja, maior frequência permite diluir um volume extra de km’s e intensidade. Se focares tudo em 2 treinos por exemplo, o risco de lesão, de demorar tempo a recuperar entre treinos etc. torna-se exponencialmente maior.

      1. Certo, já percebi a lógica da intensidade. Obrigada pelo artigo que mencionaste, é muito bom, aliás, já li mais uns quantos artigos do site e têm bastante qualidade.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s