Menorca

Os próximos dias vão ser atípicos. Entro de férias e vou para Menorca, terra do Cami de Cavalls, um trilho que circunda a ilha e que é palco de uma Ultra Maratona de 180km.
CamiCavalls_OpenStreetMap

Como é óbvio não vou fazer 200km, mas vou certamente percorrer trilhos desta ilha…

DCIM104GOPRO

minorca

Não sei se vou seguir o treino… Neste local a minha prioridade era fazer treinos longos, talvez 3, em detrimento de 5 corridas em que só 1 é que dá para ver algo de jeito. Tenho de conversar com o treinador (além disso previmos um treino de rampas, que é coisa que não há nesta ilha…) Talvez alugue uma bicicleta, acaba por ser mais indicado para ver mais terreno. E ainda vou fazer snorkling. E tomar conta de um bebé (felizmente com ajuda…)

Monte Da Lua

Ontem calhou treinar em Sintra e foi em cheio no dia do trail do Monte da Lua e o track gpx que estava a utilizar sobrepunha-se ao do Monte da Lua de vez em quando. Bem que estranhei as fitas laranja fluorescente, mas pensei que seriam de uma prova de btt no dia seguinte. Por isso cumprimentei os primeiros corredores que vi e por quem passei a voar subida acima. Pudera, eles iam para 50km (mais) e eu para 23km… às tantas comecei a ver mais e mais corredores e percebi que era uma prova. Sempre que eu saía do trilho marcado (a seguir o meu track gpx no relógio) avisavam-me “não é por aí” e eu tinha de explicar que estava só em treinos e desejava boa sorte. Pareceu-me uma prova interessante. Desde que a Ecomaratona me fez ver Monsanto onde corro regularmente com outros olhos (nunca pensei divertir-me tanto, apesar de ter sofrido muito no fim) que já não duvido que se corresse em Sintra (a 2ª serra onde mais corri depois de Monsanto) também me divertia (e sofria). Quem sabe, para o ano…

a semana que passou

Foram 70km com +2090m de desnível numa semana com treinos diversificados. Os treinos fáceis / longos foram feitos na zona 145-160bpm. Estava a fazê-los numa zona mais baixa, a rondar os 140bpm o que significa mais 20 segundos por km pelo menos. E tive um treino intenso de velocidade. Estava a fazer tudo igual, variando apenas a distância pré-determinada para o treino, um dia 13km, outro 8km, outro 13, outro 30 etc. Com o plano voltei ao método que tinha no início ao seguir os planos da Garmin, em que os treinos são em função de tempo e intensidades cardíacas e a distância é uma consequência e não o fim. Sinto-me bem. A conselho do treinador, também estou a beber batidos de proteínas depois do treino.

Aqui o loop de hoje em que subi Monsanto 4x dos pupilos até quase à prisão, à procura de acumulado.

loop

i suck at natação

Pois é, um dos dois dias de pausa de corrida é dedicado a natação e assim foi. Hoje de manhã reatei a relação com esse meu desporto de infância e adolescência. Ui. Qualquer elemento da 3ª idade a nadar nas pistas contíguas conseguia calmamente fazer mais piscinas do que eu. E isto tudo ao som de música zumba enquanto uma turma de senhoras fazia a sua hidroginástica em sincronia perfeita. A evidência suprema de que possuo as propriedades nadadoras de um bloco de cimento foi uma miúda, claramente treinada nisto, que fazia 2 piscinas enquanto eu fazia 1. Não que fosse ao dobro da minha velocidade, mas desde que desde que entrou na água não parou de nadar, enquanto que eu fazia pausas de 50 em 50 metros para respirar, ofegante e com o coração aos saltos… Ao fim de 30 minutos saí da água farto daquilo (tinha direito a 1 hora). E estou cheio de dorzinhas e aqui e acolá, músculos novos que acordaram da letargia e que ainda se estão a espreguiçar. E não, não vou nunca fazer um triatlo ou um ironman.

em busca do desnível

Acordei demasiado tarde, tinha programado para as 6:00 e só saí da cama às 7:50. Noutra altura da minha vida isto seria madrugar, mas hoje em dia significa estar muito atrasado, visto que tinha programado um treino de hora e meia com desnível, tenho um bebé que desperta com os passarinhos, preciso de tomar um grande pequeno almoço e gosto de chegar cedo ao trabalho. Hesitei. Podia fazê-lo à noite ou no dia seguinte, mas já começava a patinar no plano. Aqui entrou o factor “treinador” pois imaginei-me a entregar-lhe o excel com o resumo da semana e ter uma célula em branco porque… me deixei dormir. No way. Saí da cama e fui correr, comendo um gel pelo caminho. O treino não foi muito difícil mas era prolongado e já fazia calor (outra desvantagem de correr depois do sol nascer). Contei os minutos, especialmente os finais. O parque da Belavista é talvez a melhor opção que tenho para treinar desnível perto de casa, mas mesmo assim só consegui fazer 300 metros em 13.4km. Em Monsanto consigo 650m em apenas 12km, mas mesmo assim está tudo longe disto que me espera: 2000 metros em 18km….

marao

Ao fim de semana tenho de ir para Sintra ou algo parecido e procurar loops de desnível a sério.

próximos dois meses

Muitas mudanças. Passo a ter uma rotina de alongamentos todos os dias. Só a segunda não tem treino nenhum. Sexta feira, dia de descanso de corrida, devo fazer natação. No meio disto ando a fazer 60km por semana de bicicleta para ir de casa para o trabalho e vice-versa. Não é muito, mas às vezes noto cansaço. Estou a fazer um esforço para ir devagar. Hoje apanho o metro, depois da sova matinal a correr.
Os treinos são muito variados, intervalos, rampas, corridas longas com muito desnível, recuperação etc. Esse era um problema do plano que estava a seguir… Era fácil geri-lo, resumia-se a km’s por corrida e por semana, mas não falava nada de desnível ou intensidades. Os meus treinos longos para já vão ser bastante mais curtos dos que eu fazia – para já – mas vão ter  intensidades bem maiores.

Vou passar a consumir batidos de recuperação com proteínas depois dos 2 ou 3 treinos mais puxados da semana. Os treinos longos em jejum, devido às intensidades elevadas, acabaram, só farei os curtos e fáceis. Também chegou a altura de testar a estratégia de hidratação e nutrição durante a prova.

(re)começou

Depois de uma semana sem correr e de testes médicos (tudo ok, como se previa) hoje foi o primeiro treino do mês programado pelo José Carlos Santos, o meu treinador. E foi logo a doer com uma série de intervalos progressiva em desnível.

splits

Desde o meu plano de treinos para a minha primeira meia maratona que não tinha um gráfico de taxa cardíaca destes.

hr

A irregularidade dos picos deve-se ao treino em rampas. É difícil manter uma taxa constante quando o terreno sobe e desce!